Trade

Margem de lucro e tempo de prateleira do produto: qual a relação?

janeiro 31, 2019
Tempo de leitura 5 min

Quando falamos em comercialização de produtos perecíveis como alimentos e bebidas, por exemplo, há uma questão que muitos empresários têm dificuldade para lidar: a relação entre a margem de lucro e o tempo de prateleira dos produtos.

Como esse tipo mercadoria tem um tempo de vida útil muito menor se comparado a outros segmentos, é preciso levar em consideração uma série de fatores na hora de precificá-los.

Ao mesmo tempo que é importante ter um posicionamento de mercado e trabalhar com preços estratégicos, também é necessário ter em mente que produtos muito caros podem acabar parados na prateleira até que não possam mais ser vendidos por conta do prazo de validade.

Para que você tenha uma noção mais abrangente do assunto, mostraremos o que é margem de lucro e como o tempo de prateleira do produto influencia na lucratividade. Acompanhe a leitura do artigo para conferir!

O que é margem de lucro?

De forma simplificada, trata-se da diferença entre a receita resultante das vendas de um determinado produto/serviço e o Custo de Mercadoria (CMV). A fórmula da margem de lucro é calculada da seguinte forma: faturamento – impostos – descontos concedidos – custos.

A margem de lucro bruto representa uma porcentagem advinda da relação entre a receita total e o lucro bruto.

Suponha que um supermercado vende um kit de itens para churrasco a R$ 200,00 e os gastos com licença, transporte e mão de obra (funcionários ligados a aspectos logísticos) apenas nesse produto girem em torno de R$ 120,00. Ao fazermos as contas, chegamos a um lucro de R$ 80,00 nessa mercadoria.

Como se calcula a margem de lucro?

Para chegar à margem de lucro de um determinado período é preciso somar todo o faturamento obtido e, desse total, subtrair todos os gastos que foram necessários para comercializar os produtos — impostos, possíveis descontos concedidos ao cliente e custos operacionais.

O valor que sobrar será o lucro do período. Com base nessa informação, você conseguirá ter uma noção mais ampla sobre o índice de lucratividade da empresa.

Porém, ainda é preciso calcular a porcentagem de lucratividade. Esse cálculo é feito a partir de uma forma bem simples: o lucro deve ser dividido pela receita total e o resultado multiplicado por 100. Por exemplo, um supermercado faturou R$ 20 mil em um mês, mas seus custos no mesmo período chegaram a R$ 13 mil.

Desse modo:

  • receita total: R$ 20 mil;
  • custos: R$ 13 mil;
  • lucro: R$ 20 mil – R$ 13 mil = R$ 7 mil;
  • margem de lucro: R$ 7 mil / R$ 20 mil = 0.35 x 100 = 35%

Por meio desse cálculo, constata-se que a empresa teve uma margem de lucro de 35%. Assim, esse é o número que você deve fornecer aos seus investidores ou ao banco quando for informar sua lucratividade.

Vale lembrar que não basta informar o valor em reais, pois somente essa informação não dá uma dimensão tão precisa do real cenário da empresa. O que queremos dizer é que R$ 7 mil de lucro sobre uma receita de R$ 20 mil, como no exemplo acima, evidencia uma situação muito mais confortável do que uma companhia que tivesse os mesmos R$ 7 mil, mas com uma receita de R$ 100 mil, já que a margem de lucro seria de apenas 7%.

Como é estimado o tempo de prateleira de um produto?

Determinar a vida útil (prazo de validade) de um alimento, em termos industriais, é um grande desafio. Um alimento pode ser estocado sob várias condições de umidade e temperaturas, mas não existe uma solução mágica capaz de contemplar todas as variações.

O alimento passa por testes acelerados, nos quais o produto é submetido ao armazenamento em umidade relativa e/ou temperatura superiores às usuais, para que as reações sejam aceleradas. Então, as alterações são analisadas e, com base nos parâmetros cinéticos das reações, os resultados são extrapolados com uma margem de segurança.

Como o tempo de prateleira do produto influencia na lucratividade?

Um produto parado por muito tempo na prateleira, principalmente se for perecível como alimentos, corre o risco de não poder mais ser comercializado por causa do prazo de vencimento, o que levará o estabelecimento ao prejuízo.

Dessa forma, é muito importante contar com ferramentas e metodologias para fazer o gerenciamento do estoque de maneira efetiva e automatizada para evitar o desperdício de recursos e manter uma boa margem de lucro.

Um software de gestão, por exemplo, possibilita que todas as informações sobre os itens armazenados no estoque e expostos nas gôndolas sejam organizadas. Além disso, esse tipo de sistema emite alertas que avisam aos responsáveis pelo setor sobre a proximidade dos prazos de validade dos produtos.

Quais os principais problemas do estoque parado?

As mercadorias que estão nas prateleiras precisam ser vendidas para que os itens do estoque possam ser realocados e comercializados. A gestão inadequada dos produtos armazenados pode levar o estabelecimento a problemas sérios como os que você verá a seguir:

  • baixa liquidez: a falta de dinheiro em caixa para pagar fornecedores e arcar com custos logísticos (funcionários, tributos etc);
  • endividamento: sem dinheiro para pagar suas despesas, o supermercado pode precisar recorrer a um financiamento com altos juros, comprometendo seriamente sua margem de lucro;
  • aumento dos custos de manutenção de estoque: a infraestrutura para manter, organizar e fazer a manutenção do estoque de produtos parados gera gastos e onera a operação, principalmente se forem insumos ou mercadorias que exigem condições especiais de armazenamento como desumidificação e refrigeração;
  • perda de produtos: como já foi mencionado, produtos perecíveis precisam ser comercializados dentro do prazo de validade, caso contrário transformam-se em prejuízo para o estabelecimento.

Como você pôde perceber, o tempo de prateleira dos produtos está diretamente ligado à margem de lucro da empresa. Por isso, é muito importante melhorar o controle de estoque para não adquirir mais mercadorias do que a demanda e evitar os itens parados, que podem ter sua comercialização inviabilizada.

Além disso, mostramos como a falta de organização com o estoque pode levar o estabelecimento a problemas de gestão que comprometerão toda a organização.

Ainda existe alguma questão que você não entendeu sobre a relação da margem de lucro com o tempo de prateleira do produto? Quer descobrir como a gente pode ajudar? Então, entre em contato para saber mais!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up