Curiosidades

Você conhece o churrasco grego? Saiba mais de sua história

julho 3, 2019
Tempo de leitura 6 min

Você já ouviu falar do churrasco grego? Já viu carrinhos vendendo esse produto no centro das grandes cidades? Então, ele é bem famoso no Brasil, apesar de sua fama não ser boa. Muitos ficam com medo de consumir por conta de não saber as condições de higiene mas aquela montanha de carne “raspada” pode resultar em alguns lanches bem gostosos.

Ele apresenta algumas versões originais, como o kebab ou o shawarma, que nada mais é que um sanduíche com as fatias da carne retirada do espeto, legumes, especiarias e pão sírio. Outra versão conhecida no Brasil é fazer o sanduíche com o famoso pão francês e a carne do churrasco. Acompanhe-o com um suco natural ou refrigerante!

Quer entender mais sobre esse churrasco? Neste artigo vamos explicar a sua história, suas características e os motivos que o fizeram ser popular em algumas regiões do país. Confira!

Onde surgiu o churrasco grego?

Muitos acreditam que esse churrasco vem da Grécia, por conta do nome. Só que, na realidade, ele surgiu em 1300 a. C., no império Turco-Otomano que hoje pertence à Turquia. Por isso, em algumas localidades as pessoas conhecem por churrasco turco. Ficou confuso? Então vamos explicar o porquê da expressão “grego”.

Ele surgiu durante uma guerra Greco-Turca, entre o final do século XIX e o início do XX,  que obrigou turcos e gregos se refugiarem em outros países. Com isso, houve uma transferência populacional na época, a qual influenciou as culturas em vários sentidos. Na gastronomia surgiu o churrasco no espeto vertical giratório, que deve ser cozido lentamente no meio da máquina para ficar longe do fogo.

Essa iguaria surgiu no Brasil nos últimos anos, quando começou a receber um número grande de refugiados da Síria e outros países da região. Você o encontra geralmente nos grandes centros, como São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, entre outras, sendo vendidos em carrinhos de rua ou em restaurantes árabes.

Quais são suas características?

Como dito acima, esse churrasco é uma alocação de carnes e legumes no espeto giratório que fica na vertical de uma máquina própria. Além de muito gostoso, ele pode ser uma excelente opção para você colocar em lanches e saladas. Por isso, na Alemanha ele é conhecido como fast food com o nome de doner kebab.

Se você parar para analisar, ele é uma mistura da culinária de várias regiões do mundo. O churrasco é um misto de grego e turco, servido no pão sírio, com uma salada e molhos da região em que ele está sendo consumido. Por exemplo, no Brasil, ele é acompanhado com vinagrete, molho e geralmente com o pão francês.

Quais são as carnes utilizadas para prepará-lo?

A escolha da carne correta é muito importante para o sucesso desse churrasco, então verifique se as opções comercializadas na sua região podem ser usadas. A princípio, somente a carne de porco não é aconselhada porque ela deve ser consumida “bem assada”, por conta das doenças que as bactérias presentes nelas causam ao ser humano.

No entanto, essa questão é bem particular, pois depende do gosto, condição financeira e região da pessoa que vai consumir. Mas os principais cortes que vemos sendo usados são:

  • bife de ancho;

  • contrafilé;

  • alcatra;

  • maminha;

  • fraldinha;

  • paleta;

  • coxão mole ou chã de dentro;

  • vitela;

  • cordeiro;

  • frango.

Conte com temperos certos e de qualidade para realçar a peça escolhida. Então, faça uma marinada de sal, alho, cebola, alecrim, cebolinha, sálvia, tomilho, entre outros temperos de sua preferência. É interessante também colocar uma folha de manjericão em cima da carne nesse processo de marinada, assim, você consegue um gosto inexplicável.

Usar legumes frescos no kebab é muito interessante, pois o sabor das cenouras, pimentões, tomates, cebola, pepino, repolho e picles, por exemplo, são preservados e ficam evidenciados em sua salada. Usar molhos de sua preferência ajuda a trazer suculência ao sanduíche, pois ele “entranha” no pão, deixando-o molhado.

Como fazer esse churrasco?

O primeiro passo é escolher a carne que vai usar. Alguns chefes fazem uma combinação de diferentes tipos. Após a escolha, você deve cortá-las em pequenos bifes finos, temperar e deixar marinando de um dia para o outro na geladeira. Assim, você garante que a carne absorva bem os temperos, já que esse churrasco não usa o sal grosso.

Retire a carne da geladeira uma hora antes do seu preparo para chegar à temperatura ambiente. Depois vá empilhando no espeto um contra o outro, bem apertados para formar um cilindro. É interessante colocar as carnes mais gordas no topo, assim elas vão escorrer e hidratar o restante dos bifes. Algumas pessoas colocam cebola e tomate em cima dessas carnes para garantir o aspecto molhado.

Tudo pronto, é a hora de colocar o cilindro na máquina de espeto giratório. Caso não tenha essa máquina, você pode fazer na chapa ou churrasqueira, só que precisa amarrar bem com o uso do barbante de culinária. Ela é assada de fora para dentro, por isso, é preciso “raspar” as carnes já prontas para servi-las. O seu processo é mais trabalhoso que o churrasco tradicional, mas vale a pena experimentar e conferir o seu sabor inesquecível.

Quais são as dicas para fazer esse churrasco?

Como pôde ver, por mais que o seu processo seja trabalhoso, ele é muito fácil de fazer e não requer um profissional para prepará-lo. Pensando nisso, separamos as principais dicas para você fazer no próximo encontro da sua família e/ou amigos. Confira abaixo!

  1. A higiene é um dos pontos mais importantes a serem observados ao preparar qualquer alimento. Use toucas para cobrir o cabelo e luvas de plástico, além de limpar corretamente os espetos e a máquina;

  2. cubra as carnes com filme plástico no processo da marinada até o momento que for coloca-lás nos espetos para assar;

  3. escolha as carnes que têm gordura para garantir que seu churrasco não fique ressecado;

  4. como não conseguimos padronizar o corte das fatias, escolha as menores para colocar na base do espeto e vá inserindo em ordem de tamanho até chegar ao topo.

Por fim, mas não menos importante, ressaltamos que consumir o churrasco grego na rua requer uma atenção maior devido aos perigos que a carne contaminada causa na saúde. Como o seu processo de cozimento é lento, há maior chance das bactérias se proliferarem, mesmo em altas temperaturas. Diante disso, procure um local que você conheça a procedência dos alimentos e a higiene.

Você já comeu o churrasco grego? Conte sua experiência para nós aqui nos comentários!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up